quarta-feira, 25 de maio de 2016

Novo de novo

Bom dia meninas, estou me renovando a cada dia e tentando entender as coisas que estão acontecendo a minha volta, preciso pensar mais em mim, sem chegar ao ponto de não pensar em mais ninguém... Preciso entender algumas coisas pra continuar a caminhada sem desvirtuar minhas ideias e minha mente, seguir o mesmo rumo com o peito mais leve.
Senti muita falta do aconchego do blog nesse período que fiquei fora, do quanto somos unidas, obrigada pelo carinho, me sinto em casa. 
As vezes temos que desabar pra reconstruir uma vida com uma base mais sólida e entender que nessa vida, não temos que ter medo ou vergonha de se refazer, seja em qualquer coisa.

Segue um textinho de um dos meus autores favoritos:

"Vai passar, tu sabes que vai passar. Talvez não amanhã, mas dentro de uma semana, um mês ou dois, quem sabe? O verão está aí, haverá sol quase todos os dias, e sempre resta essa coisa chamada 'impulso vital'. Pois esse impulso ás vezes cruel, porque não permite que nenhuma dor insista por muito tempo, te empurrará quem sabe para o sol, para o mar, para uma nova estrada qualquer e, de repente, no meio de uma frase ou de um movimento te surpreenderás pensando algo assim como 'estou contente outra vez'."

Um beijo até logo maiss


segunda-feira, 23 de maio de 2016

Não

http://far-ahead.tumblr.com/post/68028034347/love-flannels
Bom dia segunda-feira, lá vamos nós. Haja paciência pra aguentar mais um pouquinho...

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Messy

Harumi Hironaka: "Hangover," mixed media on paper, n.s, 2017
Sempre venho aqui quando me perco de mim mesma, na ideia de que me achar talvez seja a escolha mais sensata a se fazer. Ultimamente me distraio pra não sentir, não sentir angústia, não sentir a pressão, não sentir que a vida passa cada dia mais rápido e sem a gente se dar conta já estamos vivendo o futuro. Meu eu atual não se orgulharia do meu antigo eu, mas sinto falta da pureza e inocência que ele transmitia, do jeito de encarar as coisas e de como tudo fazia um pouco mais de sentido, pelo menos acreditava nisso.
De ve em quando só queria espremer meu coração pra sair todo esse sentimento ruim, pra ele se encher de novo de ar puro.
A gente vive tentando largar os vícios da vida, ora tentando adquirir uns melhorzinhos, pra no final morrer com ambos.